Noites mal dormidas causam desequilíbrios hormonais, aumentando a formação de radicais livres, o que favorece o aparecimento de olheiras, ressecamento da pele e até mesmo ganho de peso. O modo como dormimos também influencia, pois conforme a posição, pode haver mais risco de desenvolvimento das temidas rugas. 

 

O envelhecimento precoce é, sem dúvidas, um dos principais problemas devido à falta de sono. Recomenda-se um mínimo de sete a oito horas diárias reservadas para dormir, período essencial no equilíbrio dos hormônios. A privação de sono acusa sofrimento ao corpo, tornando a pele mais velha e cansada. Outra dica é não dormir de lado com o rosto pressionado ao travesseiro: essa prática favorece o aparecimento de rugas, principalmente entre as mamas e laterais da testa. Essas marcas são associadas, em geral, ao envelhecimento das células. A pele jovem tem elasticidade, contrai-se e volta ao normal, sem criar sulcos. Depois dos 40, a história é outra: formam-se as rugas. O tratamento mais indicado é o uso de lasers e cremes que incentivam a produção de colágeno.

 

O famoso “bigode chinês” é outra queixa muito comum: quem dorme de lado tende a desenvolvê-lo mais cedo, pois a bochecha vai ficando amassada. Para esse tipo de ruga, que vai do nariz até os cantos da boca, são recomendadas técnicas de preenchimento. Geralmente uma sessão é suficiente. Olheiras e bolsas também aparecem com o sono inadequado, já que a circulação da região ocular fica comprometida, havendo dificuldade na drenagem dessa região. Compressas de chá de camomila gelado, duas vezes por dia, ajuda a amenizá-las. Cosméticos com Vitamina C e ácido hialurônico contribuem no clareamento, melhorando as dobras superficiais.

A privação do sono provoca disfunção na barreira protetora da pele, tornando-a mais propícia ao ressecamento. Quem dorme pouco geralmente tem uma pele sem brilho e descamada. Nesses casos, é preciso caprichar na hidratação, com uso de antioxidantes diariamente. A pele amassada contra o travesseiro exige atenção, pois cria uma pressão que estimula a perda de elastina, ocasionando flacidez. O principal tratamento para isso é a radiofrequência. 

 

Se você já sente algum desses sinais, entre em contato conosco. Realize uma avaliação personalizada e defina o tratamento ideal para suas necessidades.