O peeling é uma técnica que estimula a produção de colágeno e elastina na pele, promovendo a renovação celular de modo progressivo, regenerando os tecidos naturalmente. Laser, processos químicos, enzimáticos e mecânicos são responsáveis por esse processo. O tratamento com peeling é uma opção que não precisa de cirurgia, sem interferir significativamente na rotina do paciente. As técnicas utilizadas exigem a aplicação por um dermatologista, evitando-se queimaduras ou infecções.

O procedimento é simples: realizado em consultório, é praticamente indolor. O tipo de peeling varia conforme o fototipo: peles muito claras exigem peelings suaves, por exemplo. O número de sessões também varia conforme a intensidade do problema: para tratar rugas, por exemplo, serão necessárias 5 a 10 sessões; já as cicatrizes de acne levam 10 a 15 sessões. Os efeitos do peeling são notados logo na primeira sessão, melhorando a textura e brilho da pele. 

O peeling deve ser aplicado de forma superficial, para provocar descamação da pele. Existem técnicas mais fortes e agressivas, que irão sensibilizar a pele por mais tempo. Se o processo for a laser, serão destruídas as camadas mais superficiais, incentivando o surgimento de novas, com menos rugas ou manchas. A pele tratada com laser tem uma recuperação mais lenta. Se a paciente optar pelo peeling químico, a substância química aplicada irá destruir as camadas da pele, renovando a superfície celular. São usados diversos tipos de ácido, escolhidos de acordo com o resultado visados e do tipo de pele tratado. O de ácido retinoico, por exemplo, é mais superficial do que o de fenol. Peelings mais profundos ou a laser são recomendados no inverno e em casos graves de envelhecimento, cicatrizes ou manchas. 

Recentemente, surgiram os peelings a laser CO2, chamados de dermaroller, que são feitos a frio e indicados a casos de acne profunda ou envelhecimento acelerado. Hoje, a técnica escolhida é extremamente personalizada conforme o caso, por isso consulte seu dermatologista. O procedimento com peeling é de baixo risco, mas mesmo assim são necessários alguns cuidados para evitar problemas.